"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
09/02/2013 15h58
"BALAIO, LANÇA E TAQUARA" (APPARÍCIO SILVA RILLO/CENAIR MAICÁ)

Minha tetravó charrua
Se amanunciou com um caudilho
Amálgama de um rastilho
De sangue e de descendência
Sou auto de uma querência
E dolência de uma raça
Um tempo que me perpassa
Nessa cantiga pungente
Ode à primitiva gente
E maior dor não me há
Que ouvir Cenair Maicá
Com versos de Silva Rillo
No meu olhar, que afunilo
As Missões ainda estão lá.

Para ouvir, clique abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=XJHGpg0AHi8

 

Foto

Apparício Silva Rillo, autor da letra


Publicado por Landro Oviedo em 09/02/2013 às 15h58


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)