"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Textos

PORTO ALEGRE, DOMINGO, 11 DE OUTUBRO DE 2009.

Reforma ortográfica

A PALAVRA PLÊIADE - O termo plêiade é citado na Reforma Ortográfica como exemplo de palavra proparoxítona que leva o acento circunflexo pelo fato de a vogal da sílaba tônica se fechada. "Plêiade", segundo o dicionário Aurélio, significa reunião de pessoas ilustres ou célebres. Também indica cada uma das estrelas da constelação de Plêiades. Outra palavra citada no mesmo tópico é anacreôntico, que se refere à obra do poeta grego Anacreonte. Landro Oviedo, consultor de Português do Correio do Povo.

PORTO ALEGRE, SEGUNDA, 12 DE OUTUBRO DE 2009.

Reforma ortográfica

PIRIPAQUE - Um dos termos mais usados pelos gaúchos não tem, até agora, guarida nos principais dicionários de âmbito nacional, bem como no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp). Trata-se de "piripaque", que indica mal súbito, susto, crise nervosa, ataque inesperado. É comum encontrá-la nas letras dos nossos poetas regionais. Um exemplo de uso temos nesta frase: "A mãe teve um piripaque quando soube da gravidez da filha". Landro Oviedo, consultor de Português do Correio do Povo.

PORTO ALEGRE, TERÇA-FEIRA, 27 DE OUTUBRO DE 2009.

Reforma ortográfica

DE + A(S), O(S) - A contração do DE com as formas a, o, as e os não será feita se a palavra seguinte estiver regendo um verbo no infinitivo. Isso vale para outros termos, como pronomes ou advérbios iniciados por vogal. O novo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp) traz como exemplos as expressões "a fim de ele compreender" e "por causa de aqui estares". Antes de artigo, podemos acrescentar a frase "é hora de o governo agir". Landro Oviedo, consultor de Português do Correio do Povo.


 
Landro Oviedo
Enviado por Landro Oviedo em 16/03/2012
Alterado em 19/03/2012


Comentários


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)