"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Textos


DA PAUSA DO AMOR
                         
A pedido do poeta João Sampaio

O amor é uma doença alterosa
Que banha o ser em ilusão doentia
Tira-lhe o tino na imersão nervosa
Ora lareira, ora laje fria

Do amor não há evasão pela janela
Não há atalhos restaurando a vida
Paixão febril que a tudo desmantela
Colhe os destroços da razão perdida

Eu que já amei sob tontura
Por ora estou imune à tortura
Do jugo que não sei bom ou ruim

E nesse prisma do meu céu fagueiro
Já não tiro poemas do tinteiro
Enquanto a musa se esquecer de mim.
Landro Oviedo
Enviado por Landro Oviedo em 09/07/2016
Alterado em 09/07/2016


Comentários


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)