"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
26/02/2018 22h33
SOLIDARIEDADE PLENA

     Passada uma semana da morte arrasadora do meu pai (19.2.2018), o inelutável vai se unindo ao tempo para conspirar em prol da racionalidade, embora o sentimento e o afeto ainda tenham muitas arestas a serem aparadas. De tudo, já vai a saudade tomando conta, como uma água penetrando nos poros de uma esponja, dizendo que sim, que talvez, que sim, que talvez, que sim, que sim, que sim.
     Em meio a essa passagem de dor, de muito me serviu a palavra fraterna e consoladora dos familiares e dos amigos. Este é o miolo do que queria escrever. Agradecer. Descobri que a palavra amiga, o abraço sensível, o olhar compreensivo em muito confortam e amenizam o desamparo.
     Quando começaram a irromper as mensagens de solidariedade, pensei em responder à medida que fossem chegando. Mas como foram centenas, inclusive de “curtidas” e afins, isso se tornou uma tarefa acima de minhas forças. Contudo, quero dizer que li todas as mensagens e me emocionei com cada um que me deu seu apoio ou que veio à minha página em rede social expressar solidariedade. As condolências recebidas me mostraram que vale a pena cultivar a amizade e os laços afetivos, exatamente como meu pai fez em toda sua vida. Aliás, não sei por quê, mas nesta mesma frase me lembrei de um episódio: uma vez ele estava chegando a casa em Uruguaiana e vizinhos aprisionaram uma cobra não venenosa e eles iriam matá-la. Ele não permitiu e a soltou, sob a alegação de que todos os seres têm direito à vida. Esse era meu pai. Obrigado a todos que se solidarizaram comigo e com a minha família. A vida continua e ele será sempre nosso menestrel, nosso morubixaba, nossa razão de sorrir diante de cada instante em que ele nos fez sentir especiais. Nascemos indefesos, nossos pais são nossos esteios. Graças a eles e por eles vivemos. E lembramos.


Publicado por Landro Oviedo em 26/02/2018 às 22h33
 
23/02/2018 23h53
DICA IMPORTANTE DE PORTUGUÊS

     Dica de português: "Hidratação é bom para a saúde" ou "a hidratação é boa para a saúde". A variação do predicativo depende do uso ou não do artigo.


Publicado por Landro Oviedo em 23/02/2018 às 23h53
 
19/02/2018 23h26
SALUDOS, MEU PAI!

     Nesta segunda-feira, 19 de fevereiro, parte da minha melhor porção afetiva se despegou de mim. Meu pai partiu para sempre, para não nunca mais eu tomar um mate com ele, ouvir músicas, falar sobre nossa família, sobre a vida, sobre tudo que ele fez por mim, sobre sua trajetória de guri pobre que enfrentou e venceu todas as adversidades de um destino incerto. Como não acredito em outras vidas, sei que ele viveu a sua plenamente e isso me conforta. Sei que amou muito e que foi muito amado. Ele sempre soube disso. Seu olhar amoroso, da cor do mar, muito nos serviu de alento. Ele vivia a falar que a maior melodia para os seus ouvidos era quando o chamávamos de “pai”. Esse foi o papel que lhe deu sentido em sua jornada digna e de muitas lutas. Obrigado, meu pai, “mi viejo”, “mi tata”. Eu sempre soube que este dia chegaria. Mas nunca imaginei que fosse tão logo e tão doído. O meu amor e a minha saudade vêm em palavras, mas esse vazio é de dolorida expressão. O mais que poderia dizer, meu pai, vou deixar nas reticências: … . Te amarei para sempre, enquanto minha memória for capaz de te reter na minha orfandade.

 


Publicado por Landro Oviedo em 19/02/2018 às 23h26
 
07/02/2018 17h13
FALTA DE PROVAS

     "É 26 de janeiro em Porto Alegre, o segundo dia após o julgamento do TRF-4 que condenou o ex-presidente da República.

     Iniciando suas atividades de 2018, um cursinho de Direito reúne duas dezenas de jovens interessados em participar de futuros concursos para a bem remunerada magistratura brasileira. O professor de Direito Penal diz que "nada melhor do que começarmos o ano letivo com descontração".

     Então o mestre relata a história de um cidadão que acreditava muito em seu partido político. Mas ele desconfiava que sua mulher estivesse sendo adúltera, sempre que ele saía com a caravana de pré-candidaturas para 2018 ou se envolvia em concentrações partidárias.

     Por isso, o cidadão resolve contratar um detetive para que, a partir de 24 de janeiro, seguisse a esposa.

     Um dia depois, o cliente liga ao investigador.  O diálogo é objetivo.

— E aí, companheiro, como foi?

     - Logo depois que o senhor saiu para a concentração de apoio, eu espiei por uma fresta e a vi fazer uma maquiagem caprichada e colocar peças íntimas sexies. Ela também vestiu uma blusa decotada e minissaia.

— E aí, e aí?

— Sem demora, chegou um bonitão em um conversível e ela partiu com ele. Eu me pus a segui-los...

— E aí, e aí?

— Eles partiram em direção à zona dos motéis e fui atrás.

O maridão – já antevendo o pior – questiona:

— E onde o carro entrou?

— No Motel Donzela de Ouro, o mais caro da região.

— E aí, e aí?

— Não sei mais nada, o motel era indevassável e não consegui entrar. Mas imagino que os dois tenham ficado nus e deitados na cama...

     O marido já aborrecido, mas ainda não definitivamente inconsolável, então lamenta:

— Esta falta de provas é que me mata!"

 

Fonte: www.espacovital.com.br

 


Publicado por Landro Oviedo em 07/02/2018 às 17h13
 
01/02/2018 20h01
MANCHETE SEM CLAREZA

Afinal de contas, o cigarro está mantido ou proibido?


Publicado por Landro Oviedo em 01/02/2018 às 20h01



Página 6 de 86 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)