"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
22/11/2016 20h20
TVE, UM DOS "MALES" DO ESTADO DO RS

    Muito corajoso e arrojado o governador José Ivo Sartori. Está arriscando seu “futuro político” por um plano benfazejo para salvar a economia do Rio Grande. Com sua popularidade minada por uma inércia e uma subserviência aos donos do capital, Sartori não pode perder o que não tem. Mas pode estragar a vida de milhares e de milhões de pessoas. Na verdade, seu futuro está bem garantido. Vai receber uma pensão de ex-governador do Erário, sem trabalhar, de mais de R$ 33 mil até o resto da vida, fazendo companhia a Tarso Genro, Olívio Dutra, Yeda Crusius, Alceu Collares, Jair Soares, Antônio Britto, Germano Rigotto e outros num clube nadica republicano em que concursado não entra.

    Dentro desse pacote, que vai jogar a crise nas costas dos servidores e da população, chama-me especial atenção a TVE. Ministrei aulas de português para muitos dos aprovados nesse concurso, que estudaram para valer para conquistar um cargo pela porta da frente. Foram noites, sábados, domingos de estudo. As turmas, organizadas pelo Sindicato dos Jornalistas, ficaram lotadas de pessoas que deram o melhor dos seus esforços numa disputa leal. Muitos foram aprovados para trabalhar de forma digna na Fundação Piratini, ao contrário do que ocorre no gabinete do governador, que concentra 20% dos cargos em comissão da máquina pública estadual.

    O poder público no Brasil é um eufemismo. Deveria ser chamado de poder privado, que é a quem representa. Não é à toa que as federações de empresários apressaram-se em apoiar o pacote de males de Sartori, assim como a RBS, no que não vai nenhuma surpresa. Isso só mostra que os trabalhadores não podem confiar um só segundo em quem não os representa, aí incluídos Dilma, Lula, Temer, Marchezan, Melo, Sartori e outros, que configuram uma profusão de políticos tradicionais e carreiristas. A estrutura estatal serve de moeda de troca para carrear recursos dos mais pobres para os mais ricos. A cantilena de Sartori de que vai salvar o navio que ele ajudou a afundar é, no mínimo, insólita e mal-intencionada. Aos servidores da TVE e de outros órgãos ameaçados, minha solidariedade e a certeza de que é possível derrotar esse governo entreguista e pouco afeito à verdade.

 

 


Publicado por Landro Oviedo em 22/11/2016 às 20h20
 
19/11/2016 13h27
POESIA NA SEMANA ACADÊMICA DA UNINTER

    Aos amigos e amigas que não tiveram a oportunidade de assistir minha participação um pouco acidental na semana acadêmica da Uninter, onde curso Filosofia, envio agora esta mensagem com gravação ao vivo com parte da atividade na qual recito alguns poemas. Este texto tem como tema os constantes desalojamentos dos restos mortais das pessoas que não têm mais parentes que olhem por eles. O que acontece? Tudo se perde. 
    Inicialmente, a declamação era pra ser feita pelo meu talentoso amigo Otacílio Moreira (Luiz Fernando Carvalho). Infelizmente, ele teve um imprevisto e não me restou alternativa senão participar diretamente. O fundo de violão é do meu amigo e músico Washington Gularte. Para ver, basta clicar abaixo. Obrigado a todos...
https://www.facebook.com/adriana.silveira1974/videos/1319877251376733/


Publicado por Landro Oviedo em 19/11/2016 às 13h27
 
19/11/2016 10h25
MULTAS SELETIVAS

    Nesta sexta-feira, 18.11.2016, por volta das 11h15min, eu vinha pela Andradas, perto de onde moro, centro de Porto Alegre, e, defronte ao número 453, em frente à Marinha, dois agentes da EPTC multavam carros mal-estacionados. Um deles chegou-se a um carro normal, sem marcas de veículo oficial, parado em local proibido, com o motorista dentro. Vi ele se inclinar, ter um brevíssimo diálogo com o condutor, retirar-se para perto do outro agente e exclamar: “É viatura!”. E continuaram a multar os outros automóveis.

 


Publicado por Landro Oviedo em 19/11/2016 às 10h25
 
11/11/2016 19h23
O PONTO E VÍRGULA

     Como professor de Português e atuante na área jornalística, firmei uma convicção: ou o jornalismo acaba com o ponto e vírgula ou o ponto e vírgula acaba com o texto jornalístico. Do jeito que está não pode continuar.



Publicado por Landro Oviedo em 11/11/2016 às 19h23
 
02/11/2016 00h00
A FORÇA DA POLISSEMIA

Minha amiga Luciana, de Guaporé, fez a seguinte postagem:

"Pessoal estou convidando vocês para participar de um Retiro que eu mesmo estou organizando para o feriado do dia 02/11/16
O preço por pessoa é de R$50,00 e o casal R$90,00 ... funciona assim: vocês depositam na minha conta e EU RETIRO."

Muito interessante, porque, nesse texto, está bem explorada a questão da polissemia, que trata de palavras que constituem homônimos perfeitos, com a mesma grafia e a mesma pronúncia. O efeito sonoro e a desconcertação semântica advêm do inesperado, do contraste entre o primeiro significado partilhado com o leitor e o segundo, que beira o insólito e surpreende. Gostei.


Publicado por Landro Oviedo em 02/11/2016 às 00h00



Página 6 de 77 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)