"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
03/01/2019 17h04
ESTATUTO DO DESARMAMENTO: É CORRETO REVOGAR ESSE MONSTRENGO PETISTA

     Sempre fui contra o Estatuto do Desarmamento, mesmo quando começou a ser discutido. No Megalupa número 23, de dezembro de 2013, também ratifiquei essa posição, assim como em várias oportunidades. Espero que isso realmente seja feito agora e que as pessoas que optarem por ter uma arma em casa possam fazê-lo. Chega de argumentos pueris, como o de que liberar essas armas caseiras geraria mais mortes. Os bandidos sempre puderam fazer que queriam neste anos de vigência dessa lei nefasta e a criminalidade, por isso mesmo, não diminuiu. Talvez agora os deliquentes pensem duas vezes antes de invadir uma casa ou uma área rural em que pode ter alguém armado para rechaçá-los.

Para ler esse texto no Megalupa, clique abaixo:

 

 

https://rl.art.br/arquivos/4613664.pdf?1389213238

 

 


Publicado por Landro Oviedo em 03/01/2019 às 17h04
 
17/12/2018 17h53
LIBERDADE PARA CESARE BATTISTI

     Jair Bolsonaro é um covarde ao defender torturadores cruéis como o coronel Brilhante Ustra (torturador de mulheres grávidas) e posa de valentão ao afirmar que vai entregar Cesare Battisti para a direita italiana. Battisti fez parte de uma organização que resistiu ao regime de opressão na Itália nos anos 70 e nunca praticou os homicídios que lhe são imputados (dois quase ao mesmo tempo e a centenas de quilômetros um do outro). As acusações contra ele vêm de um delator do seu ex-grupo político, chamado Pietro Mutti, que negociou benefícios em troca de suas “revelações”. Battisti estava certo ao achar que jamais teria um julgamento justo na Itália. Nesse país de tradição fascista e de corrupção à Berlusconi, ele estava totalmente correto nas suas avaliações. E continua.
     Todas as condenações de Battisti foram feitas à revelia e montadas como uma vingança de uma elite burguesa que não aceitou a luta dos seus opositores, ainda que se possa questionar suas concepções, que não incluíam o formato partidário. Semelhantes coisas ocorreram no Brasil, quando segmentos militares rasgaram a Constituição para assumir o poder e entregar sua economia ao capital internacional (basta comparar os valores das dívidas públicas). Nesse entremeio, muitos brasileiros pegaram em armas para resistir a uma violência ditatorial que não admitia contestação ao seu entreguismo das riquezas nacionais. Essa chaga, que se pensava erradicada, por conta da monstruosa corrupção dos petistas, voltou a assombrar a vida nacional.
     Agora, o ministro Luiz Fux, numa decisão que atenta contra os princípios que embasam a segurança jurídica que se espera dos órgãos judiciais, num desatino midiático, oferece a cabeça de Cesare Battisti para Michel Temer e para Bolsonaro como um troféu de servilismo. Não restou a Battisti outra saída que não seja tentar escapar de uma armação contra sua liberdade e contra a veracidade dos fatos, patrocinada por governos elitistas e reacionários, que criam factoides para distrair a opinião pública diante de suas incompetências. Battisti está em fuga. Tomara que consiga.
Boa sorte, Cesare Battisti!


Publicado por Landro Oviedo em 17/12/2018 às 17h53
 
13/12/2018 02h40
UTILIDADE PÚBLICA - DESAPARECIMENTO DE MINISTRO

     O deputado federal Onix Lorenzoni está desaparecido há mais de 48 horas. Talvez seja o caso de se comunicar o fato à autoridade policial para que se iniciem as buscas.



Publicado por Landro Oviedo em 13/12/2018 às 02h40
 
12/12/2018 22h01
NÃO CONFUNDAM O POETA COM O POEMA

     O poeta é como um ator. Ele vive o que vive, o que não vive, o que os outros vivem, o que os outros não vivem. Pessoalizar é tirar a beleza da obra de arte. É como confundir o vilão com o ator que vive o papel. Um poema reflete muitos mundos, alguns possíveis, outros inverossímeis.



Publicado por Landro Oviedo em 12/12/2018 às 22h01
 
10/12/2018 18h44
CD "BEM GALPONEIRO", A GRATA SURPRESA DO GAITEIRO JOÃO CAMARGO

     Nesta segunda-feira, comecei a semana recebendo outra visita ilustre no meu escritório. O gaiteiro e cantor João Camargo está dando à luz da feira do gauchismo o CD “Bem galponeiro”, produzido pelo mestre Beto Caetano, e veio me trazer a novidade ainda quentinha do forno da arte. São várias canções que cantam as coisas do Rio Grande de uma forma lúdica e brejeira passando bem longe do jocoso de mau gosto, que se tornou tão comum. Trata-se exaltar o amor, os costumes, a lida, as paisagens, tudo aquilo que fala direto no coração do gaúcho. São vaneiras e outros ritmos em gravações primorosas, mostrando um cuidado de estúdio que valoriza a atenção dos ouvintes. Excelente trabalho para se ouvir tomando um mate, um café ou um vinho, num brinde à arte e à vida. O João Camargo foi o gaiteiro do CD que fizemos com César Pirelle e era nosso parceiro frequente na Estância de São Pedro, bar e restaurante que marcou época em Porto Alegre reunindo os amantes da música nativa. Boa sorte, João, nesta nova empreitada. Contatos com o João Camargo podem ser feitos pelo fone (51) 99388-0550. Recomendo o CD, está realmente de alto nível  e é um excelente presente de fim de ano, seja para ti mesmo(a), seja para um amigo, seja para um parente. Prestigie o artista.



Publicado por Landro Oviedo em 10/12/2018 às 18h44



Página 7 de 98 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)