"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Textos


POSTÂNSIAS

De tudo e um pouco me sinto feito
Me dou amor e peço desamor
Me dou desamor e peço amor
Estou onde nunca fico
Onde clamo para ser encontrado
E de onde saio de soslaio
 
O todo é um tudo que vira nada
O que fenece renasce
O que ama em silêncio
Grita para si mesmo
O embrião não cabe em si
Talvez em outrem
 
Todo afeto é meio aleijão
Vim das cavernas da simplicidade
Mas vocês me adulteraram
Não tenho tacapes, trago poemas
E um jeito atabalhoado de pensar
Meio frágil, meio imprevidente, quase altivo.
Landro Oviedo
Enviado por Landro Oviedo em 02/03/2019
Alterado em 02/03/2019


Comentários


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)