"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
20/08/2014 01h32
PLEONASMO E RAUL SEIXAS

        Sempre falo para os meus alunos que não se usa o verbo haver no passado com a expressão de reforço “atrás”, por se tratar de um pleonasmo (“Eu morei lá há cinco anos atrás”). Contudo, confesso que isso me causa desconforto, porque a expressão está consagrada. Acabo de adquirir uma coletânea de Raul Seixas em que ele canta a bela canção “Eu nasci há dez mil anos atrás” (Raul Seixas - Paulo Coelho). A música é a medida dos nossos erros e acertos em matéria de linguagem, podendo mostrar que o dito é mais forte que aquilo que, para alguns, não deveria ser dito. Sinto essa expressão tão natural como outros pleonasmos considerados aceitáveis (“Vi com meus próprios olhos”). Nem toda a redundância redunda em erro e me percebo irrequieto quando tenho que condenar, ainda que de forma indireta, essa expressão coloquial e expressiva de um dos gênios da nossa expressão artística, também um mestre da palavra.

 


Publicado por Landro Oviedo em 20/08/2014 às 01h32


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)