"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
20/08/2020 23h24
RACISMO SEM QUERER

Racismo sem querer?


Publicado por Landro Oviedo em 20/08/2020 às 23h24
 
19/08/2020 22h46
LISTA CRESCENTE DAS TOLICES E FALCATRUAS DO GOVERNO BOLSONARO II

369 – MEU GOVERNO, MINHA FAMÍLIA. "Bolsonaro envolve Abin e GSI em reunião com defesa de Flávio sobre 'rachadinha'." Manchete da imprensa noticia que Jair Bolsonaro está usando órgãos de governo e de Estado para tentar livrar a cara de Flávio Bolsonaro no caso do crime de peculato na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A metástase da corrupção bolsonarista não diferencia mais o que é interesse privado e escuso do que é serviço público.

368 – IRRESPONSÁVEL. Jair Bolsonaro está fazendo o Ministério da Saúde recuar no intuito de adquirir 46 milhões da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan de São Paulo. Cruel e genocida, está no caminho futuro de ser julgado por crimes contra a humanidade. O negacionismo já tem as digitais de milhares de mortes no país por Covid-19. Produzir a ineficiente cloroquina com dinheiro público pode, mas comprar vacinas não. Guardar na cueca pode, investir em saúde pública não. Receber de Fabricio Queiroz pode, mas aportar em imunização não. O prazer da estupidez parece inebriar Jair Bolsonaro e seus seguidores.

367 – CUECA BOLSONARISTA. Notícia da imprensa: Bolsonaro diz que o agora ex-vice-líder do seu governo no Senado, senador Chico Rodrigues, não tem nada a ver com seu governo. Antes do episódio do dinheiro nas cuecas, era seu correligionário, agora ele não reconhece seu comparsa. A vida é dura para quem é pego em flagrante. Em tempo: como um vice-líder de um governo não tem a ver com quem governa?


366 – SELO AMIGO DO PCC. A soltura do conhecido bandido André do Rap, líder do PCC, foi feito com base num artigo do Código Penal que teve a inclusão de um parágrafo único com o objetivo de favorecer a bandidagem e que não foi vetado por Jair Bolsonaro, não obstante ter sido alertado pelo então ministro Sérgio Moro. A omissão de Bolsonaro faz sentido: como sabe que ele e sua família organizada estão envolvidos com vários delitos, quer desde agora a flexibilização das leis para garantir uma futura impunidade. É como se André do Rap mandasse um recado para Bolsonaro: “Muito grato. Eu sou você amanhã”.

365 – GARIMPO. Diversas etnias indígenas lançaram um manifesto afirmando que são contra o garimpo em suas terras, ao contrário do que dizem Jair Bolsonaro e seu antiministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Aliás, Bolsonaro é tão a favor da invasão das terras dos índios que já carregou grileiros em aviões federais. Passar vergonha nacional e internacionalmente é mérito nesse governo digno de achincalhação.

364 – JAIR CALHEIROS. Se alguém tinha alguma ilusão com a possibilidade de Jair Bolsonaro combater a corrupção, basta ler as declarações do conhecido sacripanta Renan Calheiros. Ele elogia Bolsonaro por desmontar os órgãos de combate aos desvios de verbas. Com amigos assim, quem precisa de cúmplices?

363 – FIM DA CORRUPÇÃO? Jair Bolsonaro diz que a Lava Jato está acabando porque ele acabou com a corrupção no governo. Não só não acabou como a estendeu para a sua família organizada. O homem está em completo delírio. Deve ser efeito colateral da cloroquina. 

362 – RENDA FAZ DE CONTA. O governo de Jair Bolsonaro é tão dinâmico que muda de ideia antes mesmo de ter uma. No início da semana, anunciou o programa Renda Brasil com recursos vindos do Fundeb, portanto, retirados da educação básica, e dos precatórios, ou seja, aplicando um calote nas pessoas que ganharam ações contra a União. Diante da repercussão adversa, simplesmente abandonou o projeto e agora diz não ter mais dinheiro. O bate-cabeça do amadorismo bolsonarista é constrangedor. E perigoso também porque eles não sabem o que estão fazendo. Aí vale fazer qualquer coisa.

361 – DESCULPA ANTECIPADA. Jair Bolsonaro vai para dois anos de governo e mostra-se fracassado em todos os indicadores, menos nos níveis de corrupção. Sua única proposta exitosa, não é dele, pois o auxílio emergencial de R$ 600 foi proposto pelo Congresso, mas ele embarcou na onda. Assim, como ele sabe que tem um caos pela frente, com cerca de 20 milhões de desempregados em janeiro de 2021, segundo sua própria avaliação, quer, desde já, culpar seus oponentes por futuros distúrbios sociais e manifestações mais acirradas. Ele continua a pensar psicoticamente. Acho até que no seu mundo ideal, as milícias e gente como Fabrício Queiroz são os verdadeiros patriotas. Na sua mente ofuscada, seu bem-estar é uma cópia ilusória do bem-estar do país.

360 – CONAMA. O antiministro Ricardo Salles, do partido Novo (Novo?), encaminhou a aprovação de resoluções no Conama para diminuir a proteção de áreas ambientais, como em florestas protegidas e manguezais. Depois o governo Bolsonaro se queixa das repercussões negativas no exterior. Não é para menos. Essa gente é do tipo que enforca a vítima e jura que foi legítima defesa.

359 – MICHEQUE. A primeira-dama Michelle Bolsonaro está indignada com a repercussão dos cheques depositados na sua conta pelo "ex-faz tudo" da família Fabricio Queiroz e com o apelido de "Micheque". Já são quase 9 millhões de menções a esse epíteto no Facebook, Twitter e Instagram entre os dias 22 de agosto e 21 de setembro. Realmente, deve ser desagradável cair na boca do povo. Todavia, não seria mais fácil vir a público explicar os fatos do que querer intimidar as pessoas que requerem esclarecimentos valendo-se de inquéritos e ameaças?

358 – REITOR. Ver o inexpressivo deputado federal Bibo Nunes (PSL) influenciando para que Jair Bolsonaro nomeie como reitor o último colocado nas eleições para reitor da Ufrgs, umas das mais importantes universidades do país, orgulho dos gaúchos, é verificar que a educação é espezinhada e tratada com deboche pelo governo federal. O covil dos desqualificados não precisa de ciência nem de pesquisa. É por isso que são comandados remotamente pelo astrólogo Olavo de Carvalho.

357 – DISCURSO NA ONU. Jair Bolsonaro fez um discurso na ONU em que culpou índios e quilombolas pelo desmatamento e pelos incêndios em áreas de floresta e de preservação ambiental. Fiasco internacional. Foi uma manifestação infeliz em que resgatou de forma enviesada a máxima da filosofia sartreana e existencialista: o inferno são os outros.

356 – ACAREAÇÃO. Flávio Bolsonaro se recusou a comparecer à acareação com Paulo Marinho sobre vazamento de informações privilegiadas. E tenta desqualificar seu ex-aliado, de forma semelhante ao que fazem os petistas com Antonio Palocci. Gente de cama e mesa num momento, desafetos em outro. Mas, na hora do butim, se locupletam todos.

355 – DEPOIMENTO. Flávio Bolsonaro diz que não irá depor no inquérito das rachadinhas. Simples assim. “Este é um país que vai pra frente/Ô, ô, ô/De uma gente amiga e tão contente [os bolsonaristas]//Ô, ô, ô.”

354 – DEVASTAÇÃO AMBIENTAL. O vice-presidente Hamilton Mourão vive numa realidade paralela. Acha que as informações sobre queimadas e outros danos às florestas vêm de algum servidor que vaza os dados. Ora, senhor, o que existem são fatos indesmentíveis. Para esse governo, a culpa é sempre do sofá da sala. A verdade, que seria para libertar, está curtindo um cativeiro miliciano na gestão de Jair Bolsonaro e companhia.

353 – VÍDEO MICONARO. O governo de Jair Bolsonaro impulsionou um vídeo feito pelos latifundiários do Pará para negar que existam queimadas na Amazônia. Primeiro, esse vídeo pirata contraria os dados do próprio governo, uma vez que os satélites do Inpe mostram um recorde no desmatamento criminoso. Segundo, que mostram um mico-leão-dourado protegido das queimadas com o intuito de demonstrar que não existem focos de incêndio na floresta. Só que o animal apresentado não vive lá, mas na Mata Atlântica, no interior do Rio de Janeiro. Por isso, ele está são e salvo, claro. O amadorismo do ódio não é bom conselheiro e os bolsonaristas acabam vitimados pelas próprias fake news que eles adoram impulsionar. Essa gente é de um despreparo intelectual tão acintoso que me lembra de certos alunos que querem prova com consulta e com o gabarito.

352 – APELO. Jair Bolsonaro fez uma encenação indecente ao apelar para o patriotismo dos  donos de supermercado para que diminuam os lucros a fim de baixar os preços dos alimentos. Desde quando os capitalistas têm pátria? O preço do arroz, por exemplo, está nas alturas porque os produtores rurais estão exportando para a China, aproveitando a perda de valor do real perante o dólar. Os “comunistas” não comem só criança, comem o arroz que faz falta na mesa das famílias brasileiras. A classe média bolsonarista e os pobres de direita precisam entender que fazem parte do grupo de risco alvo do Setembro Amarelo.

351 – BIRUTA DE ESTRADA. Nesta lista estrelada por Jair Bolsonaro, já o comparei com biruta de estacionamento, aquele que fica se mexendo ao sabor do vento como um espantalho animado. Mas acho que devo promovê-lo a biruta de estrada. O gajo ficou mais de uma hora acenando para caminhoneiros numa rodovia em São Paulo. Uma cena patética e própria de quem pensa que está numa gincana de colégio.

350 – PACOTÃO DE IMPUNIDADE. A aproximação seletiva entre Lula e Jair Bolsonaro, ambos unidos pela corrupção de suas famílias e de seus governos, já está gerando efeitos. A indicação de Augusto Aras para o cargo de procurador-geral e a conhecida disposição dos ministros do STF Gilmar Mendes, Ricardo Lewandovski e Dias Toffoli para proteger criminosos do colarinho-branco faz parte de um acordão com futuro acórdão para livrar a cara dessa gente. Lula já começou a ser absolvido em vários processos. Bolsonaro sabe que tem um passado pela frente. Esse entendimento tácito entre as elites é uma marca registrada do país desde o Brasil Colônia. Enquanto isso, na planície, o gado pasta mansamente ou é acometido de uma febre afetuosa pelo seu corrupto de estimação.

349 – "QUADRILHA". O leitor Hamilton Penalva, na coluna do leitor do Estadão, fez um interessante cotejo intertextual com o poema "Quadrilha", de Carlos Drummond de Andrade:

Roda, roda

Jair Bolsonaro foi batizado pelo Pastor Everaldo, presidente do partido que apoiou Wilson Witzel, que foi apoiado por Flávio Bolsonaro, que tinha como advogado Frederick Wassef, que abrigou Fabrício Queiroz, que “emprestou” R$ 89 mil a Michelle Bolsonaro, que é casada com Jair, que empregou Márcia Aguiar, que é mulher de Fabrício. É mole ou quer mais?

348 – DESTEMPERADO. O antiministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que é do partido Novo e pouca gente sabe disso, cometeu um sincericídio ao dizer que o governo de Jair Bolsonaro não quer liberar verbas para combater o desmatamento, coisa que ele também não quer. Só que pegou mal, muito mal, e aí o vice-presidente Hamilton Mourão se obrigou a vir a público dizendo que não é bem assim. O agronegócio, apesar da histórica grilagem, com medo de perder mercado no exterior, tem pressionado Bolsonaro no sentido de mostrar que está fazendo alguma coisa em prol da preservação das florestas. Só que meras declarações e maquiagem de dados não revertem fatos. 

347 – O ARAS DE BOLSONARO. A manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras, defendendo o foro privilegiado para Flávio Bolsonaro, que antes pregava sua extinção, mostra que o poltrão Jair Bolsonaro tem um Aras.

346 – DÚVIDAS CÍNICAS. Após a chanceler alemã Angela Merkel duvidar que o Brasil vá proteger o meio ambiente e, assim, colocar em xeque assinatura do acordo entre Mercosul e União Europeia, o Ministério das Relações Exteriores (MRE), aquele do olavista Ernesto Araújo, lançou nota dizendo que não entende as críticas ao governo. Ora, é muito cinismo. Até garimpeiros foram transportados em aviões da FAB para facilitar a devastação das florestas. E olha que não é só a Alemanha. França, Bélgica, França, Irlanda e Luxemburgo, entre outros países, já viram que o governo brasileiro não é confiável. O agronegócio está de cabelo em pé por conta das estultices do rufião que ora assiste no Palácio do Planalto.

345 – PERGUNTA. Senhor presidente Jair Bolsonaro, por que a primeira-dama Michele Bolsonaro recebeu R$ 89 mil de depósitos de Fabricio Queiroz e de sua esposa Márcia Queiroz?

344 – BUFÃO E BUNDÃO. Ao criticar a imprensa que exerce seu ofício chamando os jornalistas de “bundões”, Jair Bolsonaro mostra que não tem preparo para o cargo, que não tem respostas para suas falcatruas familiares e individuais e que está mais perdido do que cachorro que caiu da mudança. Assim como não se pode lavar a água suja, também não se pode encomendar uma nova reputação. O desespero é proporcional ao rastreamento da corrupção que ronda a família organizada e o Palácio do Planalto.

343 – PORRADA. Questionado sobre os depósitos feitos pelo casal Queiroz na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, Jair Bolsonaro manifestou a vontade de encher a boca do repórter de O Globo de porrada. Isso é próprio de quem não tem argumentos, mas tem um passado de corrupção pela frente.

342 – A FANTÁSTICA LAVANDERIA. Flávio Bolsonaro comprou uma loja de chocolates e usa como lavanderia expressa. Isso não é desvio de finalidade empresarial?

341 – MEU BEM, MEU MAL. Quando Jair Bolsonaro venceu as eleições, ele, Paulo Guedes e sua equipe tinham um discurso que colocavam as coisas mais ou menos nestes termos: nós somos o bem, viemos para vencer o mal e o Congresso vai ter que nos engolir, sem negociatas e velha política. Atualmente, o discurso está bastante remodelado: eles são o mal, vieram para perpetuar o mal, o Congresso os engoliu e meteram-se todos nas negociatas, como se a velha política nunca houvera existido. O que Bolsonaro hoje diz de si mesmo é como se se reportasse a uma terceira pessoa, que nunca existiu.

340 – TODOS POR ELES MESMOS. Quando Augusto Aras emite seu parecer dizendo que o governo de Jair Bolsonaro pode investigar opositores sem base legal, dá para se tirar a temperatura do grande acordo que as elites governistas e de oposição querem negociar no país. Aras quer enquadrar a Lava Jato que pode punir os malfeitos de Bolsonaro e de sua família organizada, bem como de Lula e de seus aliados. Se considerarmos que Rodrigo Maia, o famoso Botafogo na lista das empreiteiras, também é alvo de investigação, vê-se que o cenário é perfeito para um entendimento, ao qual não deverão faltar gente de quase ilibada conduta, como Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandovski, ministros do STF. Esse time também conta com a torcida ativa de pessoal da pesada, como Renan Calheiros. O Ministério Público Federal (MPF) está sob fogo cerrado, inclusive de dentro da trincheira. Os meliantes querem transformar a Lava Jato numa peça de museu em livros e em documentários que terão pouco efeito sobre suas periculosidades e falcatruas. Com um pouco mais de espetáculo, poderão até se vitimizar como injustiçados da história.

Leia os itens anteriores no linque abaixo:

https://www.landrooviedo.com/blog.php?idb=55291

 

 


Publicado por Landro Oviedo em 19/08/2020 às 22h46
 
18/08/2020 02h17
"COM VIOLÃO TAMBÉM SE DANÇA" (MARCELO CAMINHA)

Era noite de folguedo
Que de baile ninguém cansa
Mas se extraviou o gaiteiro
Que ia animar a festança
Mas "pero", traz o Caminha
Com violão também se dança

Para conferir, clique abaixo

https://www.youtube.com/watch?v=lx52TRIJ0Ao


Publicado por Landro Oviedo em 18/08/2020 às 02h17
 
16/08/2020 17h35
OS TRONCOS MISSIONEIROS NO JC

São os troncos missioneiros
Fazendo fogo e fumaça
Resgatando do passado 
O legado de uma raça
São Noel e Cenair
O Jayme mais o Ortaça

Parabéns ao JC
E à jornalista Larissa
Pela bela reportagem
Que ao nosso saber atiça
Para sabermos quem somos
Só conhecendo as premissas.

Leia a matéria clicando abaixo:

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/reportagem_cultural/2020/08/751378-pedro-ortaca-mantem-viva-a-musica-missioneira.html

Matéria especial publicada no caderno Viver, do Jornal do Comércio, de Porto Alegre, edição de 14, 15 e 16 de agosto de 2020, assinada pela jornalista Larissa Burchard.

 


Publicado por Landro Oviedo em 16/08/2020 às 17h35
 
11/08/2020 18h08
DIA DO ADVOGADO, DIA DE QUEM É INDISPENSÁVEL

     Ainda que possa parecer contraditório, bom seria ter uma sociedade em que a necessidade de recorrer um advogado ou advogada fosse a exceção e não a regra. Infelizmente, enquanto houver injustiças sociais, enquanto houver letras pequenas num anúncio, enquanto não houver o devido respeito aos direitos humanos, enquanto o capital for sanguessuga da força de trabalho, enquanto o Estado fizer pouco das garantias civis, enquanto os contribuintes tiverem que produzir para sustentar uma elite econômica e tirânica, enquanto parlamentares legislarem em causa própria, enquanto a cúpula do Judiciário for escolhida a dedo pelo governante de plantão, enquanto as desigualdades foram abafadas pelo discurso da meritocracia, enquanto houver machismo justificando feminicídios, enquanto houver crianças e animais abandonados pelas ruas, enquanto houver idosos confinados sob maus-tratos, enquanto o meio ambiente for destruído pelo agronegócio predatório, a figura do advogado será imprescindível.
     Depois disso, poderemos, enfim, sentir que nosso dever foi dignamente cumprido.
     Feliz Dia do Advogados a todos os que militam nesta nobre e imprescindível profissão.

Foto: Costa & Advogados Associados


Publicado por Landro Oviedo em 11/08/2020 às 18h08



Página 2 de 120 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)