"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Textos

QUATRO TRONCOS MISSIONEIROS
A música popular brasileira tem quatro grandes mestres reconhecidos na sua arte de composição. São Chico Buarque, Caetano Veloso, Mílton Nascimento e Gilberto Gil. Em torno dessa constelação, giram grandes músicos e compositores, mas eles são, indubitavelmente, parte fundamental desse veio inesgotável que se convencionou chamar de MPB, uma sigla e um signo.

Em nossas plagas, também temos uma plêiade de boa cepa e qualidade. Num contexto forjado por uma história singular, esses baluartes da cultura gaúcha tiveram a seiva apropriada para se nutrir. Guerras, uma República, a atividade pastoril, os romances que enobreceram almas, os ofícios que fizeram homens e mulheres acreditar nesta terra, a semente lançada ao solo fértil, a utopia dos guaranis, valores como a palavra e a amizade, uma força de amor ao pago, tudo colaborou para que eles pudessem ter ao alcance da mão e do coração o perfeito motivo para cantar o cenário de suas origens. E não fizeram por menos nem deslustraram as raízes.

Os chamados quatro troncos missioneiros fizeram-se batedores da verdadeira arte poética e musical do Rio Grande do Sul. São eles Noel Guarany, Cenair Maicá, Jayme Caetano Braun e Pedro Ortaça. Os três primeiros não habitam mais o chão que tanto cantaram, mas Pedro Ortaça segue como uma lenda viva a cantar o berço que lhe deu vida.

Noel Guarany empunhou guitarras, entoou sua voz e sustentou ideias. Cenair Maicá cantou com maestria temas nativos, principalmente os relacionados à água, hoje tão recorrentes. Jayme Caetano Braun era o pajador da verve que se revelava inesgotável, pujante. Pedro Ortaça mantém esse legado como quem cuida de um tesouro das Missões.

Temos um regionalismo universal, a exemplo da obra de Simões Lopes Neto. Nosso cancioneiro canta nossa densidade humana e torna-nos partícipes da sinfonia que mostra quem somos e por que cantamos assim. Na fixação dessa identidade, os quatro troncos missioneiros cumpriram uma relevante missão.

Correio do Povo - ANO 116 Nº 169 - PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 18 DE MARÇO DE 2011.

Veja também:
www.cursodeportugues.zip.net
(Curso de Português)

www.megalupa.zip.net
(Jornal Megalupa)
Landro Oviedo
Enviado por Landro Oviedo em 06/03/2012
Alterado em 10/03/2012


Comentários


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)