"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Landro Oviedo
"Somente buscando palavras é que se encontram pensamentos" (Joseph Joubert)
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos

A HISTÓRIA MAL CONTADA

     Atualmente, com as redes sociais, vemos uma guerra de versões acerca de vários fatos. Mas isso, para nós, gaúchos, não é novidade. Há uma história gaúcha reiteradamente recontada por uma historiografia oficial que não corresponde ao que efetivamente aconteceu. Há vários pontos deturpados e que merecem um olhar mais ajustador.

     De acordo com uma narrativa patrocinada pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), dentro de uma perspectiva positivista, tudo são louros e ouros no nosso pretérito. Isso, inclusive, estimula até mesmo um bairrismo despiciendo. Vejamos alguns nós górdios nunca desatados.

     Existe uma dificuldade de admitir de onde provêm nossos idolatrados ancestrais, como se sermos descendentes das mulheres de vida difícil trazidas das ruas do Rio de Janeiro por Silva Pais na primeira metade do século XVIII pudesse implicar uma descendência menos ilibada. Outro ponto quase nunca falado é que a economia do RS é, em sua essência, obra dos paulistas. Depois de muito tempo adquirindo os gados e muares na Feira de Sorocaba e pagando atravessador, eles resolveram vir de mala e cuia para a província para explorar diretamente o negócio dos gados alçados das Missões, tanto a Vacaria do Mar como a Vacaria dos Pinhais. Não é por menos que o imortal personagem Maneco Terra, de Erico Verissimo, pai de Ana Terra, é paulista. Qualquer certeza não é mera incongruência.

     Há que se destacar ainda que essas versões não contemplam o genocídio contra os índios missioneiros, completado por desertores e milicianos como Manuel dos Santos Pedroso e Borges do Canto, bem como o extermínio do pelotão dos Lanceiros Negros ao final da Revolução Farroupilha, numa armação odiosa de Chico Moringue e o futuro Duque de Caxias, Luís Alves de Lima e Silva, do lado imperial, e o general David Canabarro pelo lado dos farroupilhas. Os lanceiros foram abatidos desarmados numa cilada enquanto dormiam.

     A leitura há de se manter como um item imprescindível, mas não suficiente para conhecer o mundo. Sempre haverá quem escreva para desdizer o que realmente deveria ser dito.

 

     Jornal Nova Folha, Guaíba, em 6.5.2022.

Landro Oviedo
Enviado por Landro Oviedo em 11/05/2022
Comentários
Eventuais recebimentos